24 de agosto. O dia em que Jobs deixou de ser CEO da Apple.
Postado em 25/08/2011 por Ana Bilbao, diretora da Hi Soluções

O dia chegou. É como aquelas notícias que todo mundo sabe que vão acontecer e a cada dia parecem mais próximas. Mas Steve Jobs escolheu a data: em 24 de agosto 2011, renunciou ao cargo de CEO da Apple, empresa que revoluciona e apaixona seus usuários. A participação de Jobs neste processo de consolidação da marca da maçã é inquestionável. Foi pelas mãos dele que a empresa foi considerada a mais valiosa do mundo – título que nós, apaixonados, nunca questionamos.

Jobs foi um dos fundadores da Apple, junto com Steve Wozniak. A empresa foi fundada em 1976. Em 1984, lançou o primeiro Macintosh e um ano depois foi forçado a deixar a empresa. Criou a NeXT, empresa que adquiriu a Pixar e, na década de 90, produziu o primeiro desenho animado totalmente feito em um computador, o Toy Story. Jobs voltou para a Apple em 1996, quando a empresa comprou a NeXT. Foi a época mais difícil da história da empresa. E foi aí que, mais uma vez, a genialidade de Jobs fez a diferença. Foram lançados os primeiros iMacs. Com o dinheiro, além de recuperar as ações da empresa que tinham sido vendidas na época da crise, o executivo começou o desenvolvimento do Mac OS, lançado em 2000. Daí pra frente, iPods, iPhones, MacBooks e, mais recentemente, iPads passaram a ser termos do dia-a-dia de pessoas do mundo todo.

Steve Jobs passa agora a ser presidente do conselho administrativo e Tim Cook assume como CEO. Prova de que ele não vai estar longe, até porque a indicação do novo ocupante do cargo partiu do próprio Jobs.

A pergunta que fica é a mesma que todos sempre se faziam é a mesma que ouvíamos quando uma licença médica afastava Jobs da liderança da Apple: a marca será a mesma? Sim e não. Muda o rosto que estará estampado nos jornais quando a empresa revolucionar novamente. Mas a cultura da inovação e do “Think different” não se acaba assim.

Veja Também